13/06/2024 às 11h35min - Atualizada em 13/06/2024 às 11h35min

Caderneta da Criança é lançada com inclusão de teste para detecção precoce de TEA

7ª edição do material traz de volta o M-CHAT-R, que auxilia em casos de Transtorno do Espectro Autista e acrescenta orientações para profissionais de saúde e cuidadores

Ascom MS
Portal Agência Gov
Divulgação / MS
Em diálogo com a sociedade e com movimentos sociais, o Ministério da Saúde (MS) lança a nova edição da Caderneta da Criança – Passaporte da Cidadania. A publicação traz novamente o M-CHAT-R, um instrumento para detecção precoce de risco para Transtorno do Espectro Autista (TEA), além de uma novidade: foram acrescentadas orientações para cuidadores e profissionais de saúde sobre a aplicação e a interpretação do teste.
 
“A atualização da caderneta com essa ferramenta é fundamental para o cuidado com as nossas crianças, além de trazer informações muito relevantes para os pais, responsáveis, profissionais de saúde, de educação e de assistência social”, lembra o secretário de Atenção Primária à Saúde da pasta, Felipe Proenço, que também ressalta o calendário vacinal atualizado com a imunização para covid-19 no livreto.
 
O MS prepara a impressão de cerca de 3 milhões de novas cadernetas, para distribuição em todos os estados e capitais. A previsão é que o material seja encaminhado no segundo semestre. Todavia, o formato on-line já está disponível.
 
Confira as novas edições da caderneta:
 
Caderneta da Menina - 7ª edição
 
Caderneta do Menino - 7ª edição
 
Quanto ao M-CHAT-R, foi acrescentado no documento o link da entrevista de seguimento, que deve ser aplicada quando a primeira etapa do teste é positiva. “Todas essas orientações são de extrema importância, pois evidenciam que se trata de um teste de triagem, não de uma confirmação de diagnóstico de TEA e preparam os profissionais para usá-lo adequadamente nas duas etapas de triagem”, explica a coordenadora de Atenção à Saúde da Criança e do Adolescente, Sônia Venâncio.
 
As informações também são relevantes para que as famílias compreendam o significado do teste e que o diagnóstico de crianças com autismo necessita de uma equipe multiprofissional. “Dessa forma, contribuímos com a vigilância do desenvolvimento infantil, fazendo uso de um instrumento que aumenta as chances de detecção precoce do transtorno para que as intervenções sejam feitas em tempo oportuno”, defende Sônia.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://mundobom.com.br/.