23/06/2024 às 19h05min - Atualizada em 23/06/2024 às 19h05min

Brasil bateu recorde de pessoas com trabalho e com carteira assinada em 2023

100,7 milhões de pessoas ocupadas representam maior quantidade desde 2012. Destas, 38 milhões têm carteira assinada, melhor resultado desde 2014. Dados foram divulgados pelo IBGE

Portal Agência Gov
Marcelo Camargo / Agência Brasil
No Brasil, a população ocupada alcançou o recorde de 100,7 milhões de pessoas em 2023. Os dados divulgados na última sexta-feira (21/06) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) fazem parte do módulo Características Adicionais do Mercado de Trabalho da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua.
 
No ano passado, essas 100,7 milhões de pessoas representaram a maior estimativa da série iniciada em 2012. O contingente representou acréscimo de 1,1% em relação a 2022 (99,6 milhões de pessoas) e de 12,3% frente à população de 2012 (89,7 milhões de pessoas).
 
Em relação a 2022, o total da população em idade de trabalhar expandiu-se 0,9%, e foi estimada em 174,8 milhões de pessoas. Com o avanço simultâneo das duas populações, o nível da ocupação ficou estimado em 57,6%, em 2023. Este nível de ocupação refere-se à comparação entre as pessoas efetivamente ocupadas e o conjunto da população em idade economicamente ativa. Neste quesito, o índice é o maior após o máximo da série, de 58,3%, registrado em 2013.
 
O número de pessoas com carteira assinada no setor privado também registra marca histórica, alcançando 37,7 milhões de pessoas, ou 37,4% da população ocupada, maior índice desde 2014, quando foi de 39,5% das pessoas com trabalho. No setor público o número de pessoas com contrato formal de trabalho mantiveram sua participação em torno de 12% em 2023, equivalente a 12,2 milhões de trabalhadores.
 
Entenda por que massa de rendimento e nível de emprego são os melhores em dez anos

Desemprego de 7,6% no trimestre é o menor desde 2014. Ocupação ganha 2,8 milhões de empregos
 
Sindicalização
 
Enquanto o mercado de trabalho registra avanços, a sindicalização segue perdendo força entre os trabalhadores. Em 2023, apenas 8,4% dos ocupados eram associados a sindicato, o equivalente a 8,4 milhões de pessoas. O número representa uma queda de 7,8%, ou de 713 mil pessoas, em relação ao ano anterior, quando havia 9,1 milhões de ocupados sindicalizados (9,2% do total), e chegou novamente ao menor patamar da série histórica, iniciada em 2012 (16,1%). Os dados também são do IBGE.


(Com informações do IBGE)
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://mundobom.com.br/.